Hoje

dess

Eu poderia escrever um texto enorme, explicando de forma poética tudo o que você me faz sentir, poderia criar várias metáforas e descrever de diversas maneiras o quanto te amo, mas nada disso vai chegar perto de exemplificar o que você significa para mim e tudo o que me faz sentir… E no fundo eu sei que não preciso dizer, pois você sabe quando me beija, quando me toca, você percebe nas minhas reações.

Hoje, mais tarde, quando eu te encontrar, todas as palavras perderão o sentido, a beleza e a única coisa que vai sobrar, que vai realmente importar, vai ser eu poder te abraçar, te beijar, te fazer carinho, sentir teu toque e poder sussurrar ao pé do seu ouvido que eu te amo.

Eu não preciso de palavras ou textos quando estou contigo, basta sentir o calor do teu toque, a firmeza do teu abraço e o sabor dos teus beijos. Eu não preciso explicar para você como me sinto, porque você também se sente assim, eu vejo nos seus olhos… Eu sou apaixonada por palavras, mas poder apenas sentir quando estou contigo é maravilhoso.

Por isso nesse dia dos namorados deixo apenas uma curta mensagem, de três palavrinhas, para você: EU TE AMO.

“O contrário do Amor”

expec

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro. Continuar lendo ““O contrário do Amor””

Caminhos

caminhos

Ando meio confusa, meio perdida. Perdi o rumo, saí da trilha, me embrenhei por lugares desconhecidos e agora não sei para onde ir… Não há mais caminho no chão para seguir, a partir de agora eu tenho que fazer minha própria estrada e isso me assunta, porque não sei para onde ir, em que direção devo abrir minha trilha. Não consigo enxergar muito além, então não sei para onde estarei seguindo, nem que obstáculos encontrarei pela frente. Continuar lendo “Caminhos”

Revolta

plagioSe tem uma coisa que me revolta e deixa estressada são pessoas que vagueiam pela internet se apropriando de textos que obviamente não são seus. Gostar de um texto e querer compartilhá-lo em seu facebook, blog, tumblr ou seja onde for, tranquilo, vá em frente, mas dê os créditos ao autor! Pense, ele gastou tempo, energia, criatividade e talento para escrever esse texto do qual você tanto gostou, então é de direito dele ser reconhecido por isso!

Até onde sei nunca tive um texto plagiado, pois sim, isso é plágio! Mas sei que ficaria extremamente chateada e revoltada se isso um dia acontecesse, poxa, eu me esforcei para escrever um texto bonito, que reflita meus sentimentos e com o qual outras pessoas talvez possam se identificar e o mínimo que peço é reconhecimento, é o credito pelo meu texto.

Já vi autores conhecidos reclamando desse fato que é infelizmente comum na internet. De tanto samba que fazem com os textos no fim se dá até o crédito errado, a um autor que nada tem a ver…

Você quer se inspirar no texto? Ok! Isso é legal, mas não copie na integra, sabe? Dê os créditos devidos, o autor merece, escreveu um texto tão bonito que você gostou e quis até compartilhar! Tenha em mente, também, que é fácil saber se foi ou não você que escreveu o texto, internet tem dessas coisas…

Não há problemas em se identificar com textos e querer dividi-los, como forma de expressão, há problema em se apossar de um texto, plagiar e não dar créditos ao autor de direito do texto.

Então, por favor, não plagie e dê os devidos créditos!